quinta-feira, 17 de julho de 2008

O poder dos muitos

Eu fiquei sabendo desse cara só essa semana. Aparentemente, ele já é famoso, como o cara que dança na internet. Matt Harding é um cara que teve uma idéia simples, e conseguiu fazer um grande barulho.

A primeira vez que vi o vídeo, só pensava: QUE INVEJA!!!!!!!!!! O cara viajou o mundo pra fazer aquela dancinha ridícula e engraçada. E mais: recebendo pra isso!!! Sim, porque ele foi patrocinado por uma empresa de chicletes, e era PAGO pra viajar.

Puta mundo injusto!!!!!!!!!!!!! E eu?!?!???!?!?!?!?!? Se alguém me patrocinar eu dança até a Macarena no Tibete. Sem brincadeira. =D

Mas o que me tocou mesmo nesse vídeo, além de ver pessoas juntas, em várias partes do mundo, pra fazer uma coisa simples, foi a música. Chama-se "Praan", que quer dizer "aquilo que não se olha atentamente" (eu procurei num dicionário de bengali, e, se eu entendi direito, é isso mesmo...rs). É uma música inspirada no poema "Stream of life", de Rabindranath Tagore (um poeta bengali). O poema é lindo, e eu achei uma tradução em inglês no blog PenginSix

The same stream of life that runs through my veins night and day
runs through the world and dances in rhythmic measures.

It is the same life that shoots in joy through the dust of the earth
in numberless blades of grass
and breaks into tumultuous waves of leaves and flowers.

It is the same life that is rocked in the ocean-cradle of birth
and of death, in ebb and in flow.

I feel my limbs are made glorious by the touch of this world of life.
And my pride is from the life-throb of ages dancing in my blood this moment.

Que, em uma tradução livre, seria como...:

A mesma corrente de vida que corre pelas minhas veias noite e dia
corre pelo mundo e dança de maneira ritimada.

É a mesma vida que se lança em alegria pela poeira na terra
em numerosas lâminas de grama
e estoura em ondas tumultuosas de folhas e flores

É a mesma vida que é embalada pelo berço oceânico do nascimento
e da morte, em altos e baixos.

Eu sinto que meus pulmões são gloriosamente feitos pelo toque deste mundo de vida.
E meu orgulho é da batida das eras dançando no meu sangue neste momento.

Achei o nome da música muito pertinente. Quantas vezes nós passamos por situações, ou vemos coisas, mas não enxergamos de verdade. Acho que o vídeo exemplifica muito isso.

Observemos, então, caríssimos. Vamos prestar mais atenção ao nosso redor, e, principalmente, às coisas pequenas.

=D

Um comentário:

Erick Berbel De Luca disse...

Adorei esse post! O vídeo, a música e a letra são sensacionais!!!
Adorei mesmo seu blog é inteligente e irreverente!
Beijinhos